segunda-feira, 13 de março de 2017

DIDAQUÉ - O CATECISMO DOS PRIMEIROS CRISTÃOS



            Neste mês de março comecei a ler a "Didaqué',  chamada também de "Catecismo dos Primeiros Cristãos". É um documento que me permite conhecer mais profundamente o começo da assim dita "Cristandade", pois é, sem dúvida, uma das fontes mais antigas de catequese. Apesar do título, o texto não reivindica ser da autoria de um dos doze apóstolos.
            Estudando-se a "Didaqué", geralmente se admite que ela foi compilada entre os anos 90-100 dC, na Síria, na Palestina ou em Antioquia. São poucos os estudiosos que hoje ainda defendem a tese da data cerca da metade do século II, isto é, ainda do tempo do apóstolo Paulo.
            O certo é que os antigos padres da Igreja conheciam a "Didaqué".
            Trata-se, é verdade, de uma compilação, cujos autores - um ou mais - nos são desconhecidos. Pertence ela ao gênero literário das constituições, servindo de manual de catequese à comunidade, num ambiente judaico-cristão e pagão, como o revela a sua lista dos vícios. Com a "Didaqué", inicia-se a reflexão teológica pós-apostólica propriamente dita.
            Os escritos dos "Padres Apostólicos", isto é, do tempo imediatamente posterior aos apóstolos, sem dúvida foram importantes para a constituição do cânon neotestamentário,  as origens da liturgia e as estruturas eclesiais.
            Nos primeiros capítulos da "Didaqué" pude perceber particularmente influências não-cristãs. Apesar disso, essa parte pode figurar na literatura  pastoral e catequética da Igreja primitiva  devendo, evidentemente, ser considerada toda ela, em suas múltiplas interdependências teológicas e literárias, como dizem os estudiosos, com vários outros documentos da época.
            Nos seus dezesseis capítulos, a "Didaquè" desenvolve os seguintes temas: Os dois caminhos, Deveres para com a vida e a prosperidade do próximo,  Advertência contra a paixão e a idolatria,  Deveres do senhor e dos escravos,  Do caminho da morte,  Perfeito é quem aceita o jugo do Senhor, Instrução sobre o Batismo, Sobre o jejum e a oração, Sobre a celebração da Eucaristia, Ação de graças depois da Ceia, Da hospitalidade para com os apóstolos e profetas, Da hospitalidade para com os outros, Deveres para com os verdadeiros profetas, Santificação do domingo pela Eucaristia, Eleição dos bispos e diáconos, A parusia do Senhor.
            Creio que é indiscutível a importância da "Didaqué"  para o estudo da história dos dogmas e da vida da Igreja. Trata-se de um documento  precioso por sua antiguidade, cujos autores nos são desconhecidos. O importante é que nesta pequena obra podemos encontrar nela a primeira e mais completa reflexão teológica advinda da era pós-apostólica.
            Tomo a liberdade de recomendar este livro a todos quantos têm responsabilidade no ensino da Teologia, da Catequese, e da Liturgia da Igreja.
            O texto que tenho em mãos é publicado pela "Editora Vozes", com introdução, tradução do original grego e comentários, assinados por Urbano Zilles.
 
                                                  ************************
           

Nenhum comentário:

Postar um comentário